Diagnóstico e Tratamento 

BIPOLARIDADE

Cerca de 6 milhões de pessoas no Brasil sofrem de transtorno bipolar e segundo a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTB) a bipolaridade é a segunda causa de incapacidade para o trabalho entre as doenças mentais, atrás apenas da depressão – em terceiro, vem a esquizofrenia.

Pode estar presente em crianças, adolescentes, adultos e velhice.

A doença é caracterizada por alterações de humor, com fases de depressão e euforia (mania). Os primeiros casos do distúrbio foram descritos com outros nomes 460 anos a.C., pelo grego Hipócrates, considerado o "pai da medicina" –, mas o diagnóstico ainda é difícil e leva, em média, 10 anos para ser feito.

Os sintomas mais frequentes na euforia/mania inclui agitação, pensamento e fala rápidos, insônia ou necessidade de dormir pouco, dificuldade de concentração e memória, agressividade, compras compulsivas e hábitos de risco, como sexo sem proteção,delírios e alucinações. Já se a pessoa estiver deprimida, tende a sentir mais fadiga, lentidão, falta de energia e esperança, apresentar idéias negativas, culpa excessiva e perder o prazer na vida.

O diagnóstico do transtorno bipolar é clínico pois ainda não há exames de imagem ou laboratório para detectar a doença. O tratamento deve ser contínuo, ou seja, para a vida toda. Normalmente são usados estabilizadores de humor, anticonvulsivantes e antipsicóticos.

É recomendado a abstinência de cafeína, nicotina e álcool.  O tratamento com remédios emagrecedores e outros estimulantes do sistema nervoso central deve ser interrompido.

Agende uma consulta.

© 2016 by Dra Juliana Leite