Diagnóstico e Tratamento 

TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA - TEA

O autismo, também conhecido como transtorno autístico, autismo da infância e autismo infantil. Nessa condição, existe um marcado e permanente prejuízo na interação social, alterações da comunicação e padrões limitados ou estereotipados de comportamentos e interesses. As anormalidades no funcionamento em cada uma dessas áreas devem estar presentes em torno dos três anos de idade. Aproximadamente 60 a 70% dos indivíduos com autismo funcionam na faixa do retardo mental,

Autismo é um transtorno global do desenvolvimento marcado por três características:

* Dificuldade de interação social com amigos e familiares.

* Atraso na fala

* Comportamento restrito e repetitivo.

O comportamento é variável , vai desde quadros leves, como a síndrome de Asperger (inteligência e fala preservada), a quadros graves, na qual o paciente apresenta sintomas como agressividade, não fala,  não faz contato visual e tem retardo mental.

Distúrbios do sono e alimentares podem ser muito esgotantes na vida familiar, particularmente durante a infância. Crianças com autismo podem apresentar padrões erráticos de sono com acordares freqüentes à noite por longos períodos. Distúrbios alimentares podem envolver aversão a certos alimentos, devido à textura, cor ou odor, ou insistência em comer somente uma pequena seleção de alimentos e recusa de provar alimentos novos.

Crianças com autismo com um grau de funcionamento menor podem morder as mãos ou punhos, muitas vezes levando ao sangramento e a formações calosas. O fato de golpear a cabeça, particularmente nas que possuem um retardo mental mais grave ou profundo, pode tornar necessário o uso de capacetes ou outros dispositivos protetores. As crianças podem também cutucar excessivamente a pele, arrancar o cabelo, bater no peito ou golpear-se. Existe uma percepção menor do perigo, o que, junto com a impulsividade, pode levar a ferimentos. Acessos de ira são comuns, particularmente em reação às exigências impostas (e.g., cumprir uma tarefa), alterações na rotina ou eventos inesperados. A falta de compreensão ou a incapacidade de comunicar-se, ou a frustração total, podem, eventualmente, levar a explosões de agressividade.

O autismo é um comprometimento permanente e a maioria dos indivíduos afetados por esta condição permanece incapaz de viver de forma independente, e requer o apoio familiar ou da comunidade ou a institucionalização. No entanto, a maioria das crianças com autismo apresenta melhora nos relacionamentos sociais, na comunicação e nas habilidades de autocuidado quando crescem.

O tratamento é multidisciplinar ( fonoaudiólogo, psicólogos e médicos), podendo ser usado tratamento medicamentoso para tratar comorbidades como agressividade e agitação. 

Agende uma consulta.

© 2016 by Dra Juliana Leite